Como Investir para Aposentadoria – O Guia Absolutamente Completo para Se Planejar e Viver de Renda

Como investir para aposentadoria? Se aposentar e viver de renda não significa, necessariamente, esperar a aposentadoria via INSS ou colocar sua grana nos produtos de previdência privada (PGBL e VGBL).

E, mesmo fazendo a opção de uma previdência privada, a gente tem que se atentar às regras de tributação (cuja escolha é nossa) e às taxas de administração envolvidas.

Portal InfoMoney publicou, em 27/07/2016, artigo escrito pelo editor chefe João Sandrini, apontando os erros que o Brasil inteiro comete ao investir para a aposentadoria.

Eu e Roberto Pordeus preparamos um resumo / interpretação / complemento / booster (que chamo aqui de Notícia Traduzida) pra quem quer poupar esforços e ir direto para o que interessa, ou seja, pra ação numa linguagem leve e prática.
 

Parada inicial e essencial para um conceito


Quando o assunto é aposentadoria ou previdência, o maior erro mesmo é:

-> Não poupar e achar que o benefício do INSS é a solução

MAS, se você tá lendo esse texto, então sua intenção já é passar longe do maior erro. Por isso, não vou entrar nas discussões de valor do benefício, reforma da previdência, idade mínima de aposentadoria, etc. Sugiro esquecer o governo e fazer sua parte. E, se for autônomo, não deixe de contribuir pro INSS. Pois, se você ficar inválido, este benefício é quem vai te sustentar de forma vitalícia.

Bem, meu conceito de aposentadoria é: viver de renda e não precisar trabalhar por dinheiro. “Oi, oi, oi!?” É o seguinte… você poderá se aposentar quando a renda mensal oriunda de suas aplicações financeiras for maior do que seus gastos mensais. Ou seja, quando a renda mensal dos seus investimentos for suficiente para manter seu padrão de vida até que você morra. “Oi, oi, oi!?” …

Vamo lá, exemplo… Se você tem um padrão de vida de R$10mil por mês (de gastos) e você já conseguiu juntar/poupar R$1milhão: PARABÉNS! Já dá pra viver de renda e você não precisa mais trabalhar por dinheiro. Isso é o que alguns educadores financeiros chamam de independência financeira. E, isso também é o que Robert Kiyosaki, autor do livro Pai Rico Pai Pobre, chama de sair da corrida dos ratos.

E por que isso seria possível? Porque basta um rendimento mensal de 1% por mês em cima dos R$1milhão que você juntou, e assim você terá seus R$10mil por mês sem precisar fazer nada. Afinal, a matemática nos diz que 1% de um milhão é igual a dez mil. E hoje, no Brasil, temos diversos produtos de renda fixa que te rendem 1% ao mês. Portanto, se você quer uma aposentadoria que seria equivalente a R$10mil hoje, tem que juntar ao longo dos próximos anos uma quantia equivalente a R$1milhão de hoje. E quem pode fazer isso por você é o incrível efeito bola de neve dos juros compostos ao longo do tempo. Mas, para isso, você precisa começar agora a poupar e investir mensalmente.

Só não sei até quando teremos tão facilmente rendimentos seguros nesse patamar (de 1% ao mês) e ainda na renda fixa. estudo-pesadoPor isso, o melhor investimento pra aposentadoria é: invista em você, na sua informação e no seu conhecimento. E digo, você estará bem mais preparado e afiado ao terminar essa leitura.

Na renda variável… “Outra opção é ser dono ou sócio de uma empresa que te gere esse dinheiro por mês sem que você precise trabalhar nela. Ou comprar imóveis e viver de aluguel.” É! Mas isso é investir também. Se você não precisa trabalhar na empresa, então ser sócio de uma padaria ou ter ações de uma multinacional é bem parecido. Ter imóveis que te rendem aluguel ou ter cotas de Fundos Imobiliários também é quase a mesma coisa. No fim das contas, você tá recebendo sem precisar trabalhar (e se aposentar é isso, né).

SE LIGA! Um fundo funciona como uma conta corrente conjunta e gigante onde milhares de pessoas colocam sua grana lá todo mês. Aí tem uma galera (os administradores) que pega essa grana que entra todo mês e sai investindo por aí. Essa galera cobra uma taxa alta pra fazer isso e eles investem em instituições que você poderia estar investindo sozinho, diretamente.

A grana que você terá ao aposentar é: o que você colocou no fundo, menos as taxas dos administradores, e mais os rendimentos que o fundo conseguiu nesses investimentos. Ai depois você vai sacando todo mês a grana de lá.

Então um fundo de previdência privada funciona quase como qualquer outro investimento: ele vai dar um montante final que depois você pode ir sacando valores até esse tal montante se extinguir.

Ou seja, você não precisa, necessariamente, esperar até 60 ou 70 anos pra se aposentar, “basta” juntar a grana que vai dar o rendimento compatível com seu estilo de vida. Isso pode acontecer aos 30 ou 40 anos. Tu já tinha pensando assim?

Pronto! Feita a pseudo lavagem cerebral e o alinhamento de ideias, vamos partir para a ação. Por isso, pegue seu caderninho de anotações, beba um copo d’água, respire fundo, e leia com atenção…
 

Os erros apontados


O segundo maior erro (o primeiro já sei que você superou) é o último citado na matéria da Infomoney:morguefile-wrong-way

-> Você pode ler esse texto e não fazer nada, mas daí nada vai mudar (ou seja, se já tiver com a cabeça voltada a não agir, na preguiça de tomar atitudes, sugiro nem continuar lendo).
Se você junta uma grana mensal para a aposentadoria, a diferença que você vai ter daqui a 30 anos por estar investindo da forma “não ideal” pode chegar na casa dos milhões de reais. A conta é simples…

Todos os 10 maiores fundos de previdência privada do nosso país são do Banco do Brasil, do Itaú ou do Bradesco. A média de rendimento nos últimos anos desses 10 fundos que compõem o ranking é de 88,67% do CDI. Ora, ora, ora, o título MAIS CONSERVADOR no Tesouro Direto rende cerca de 100% do CDI (esse título é o Tesouro SELIC – LFT). Então nossa conta bem simplória e meramente exemplificativa será a seguinte…

Considerando alguém que guarda 2mil por mês: 12% de R$2.000,00 é o que a pessoa estaria perdendo (100% – 88% = 12%), ou seja, 240 reais por mês. Considerando a meta da taxa básica de juros atual, esses 240 reais por mês em 30 anos renderia a mais R$ 1.160.954,94. Eu fiz essa conta aqui ó, na Calculadora do Banco Central e tem o print da tela aqui.

Ééééééé colega, milhãozinho de diferença. E utilizamos no exemplo o título mais conservador e seguro disponível no país, viu. Esse nem é o mais indicado para aposentadoria, pois o melhor título para o longo prazo da aposentadoria seria o Tesouro IPCA+ com o vencimento perto da data que você deseja. E se não lembra porque é seguro, pode ler esse artigo aqui.
 

Fundo de previdência da sua empresa


Um dos grandes erros sabiamente apontados na matéria é não optar pelo fundo de previdência da sua empresa. Prefira ele em relação a qualquer produto bancário.

Isso se sua empresa tiver esse benefício, né? Funciona assim: você coloca um percentual do seu salário nesse fundo e a empresa coloca o mesmo valor que você colocou. Ou seja, de imediato você já tem um retorno de 100% do capital. Exemplo: se coloco 200 reais por mês no fundo da empresa, ela coloca mais 200 por mim, gerando 400 reais por mês. Isso dentro de um percentual máximo pré-definido.

Em pesquisa com amigos e familiares, levantei o seguinte exemplo de empresas que possuem esse benefício: Alcoa, Apple, Audi, CHESF, Correios, GE, Mondelez, Petrobras, Vale, e por aí vai. Alguns órgãos públicos também possuem algo parecido. Procure saber se no local que você trabalha existe esse benefício, e então adote o percentual máximo em que a empresa ou a instituição vai dobrar a aplicação.

Já se você tá desempregado ou procurando uma oportunidade melhor de emprego, ta aí um ponto pra você passar a analisar. O Gerente e Headhunter da Michael Page, Marcelo Botelho, destaca que esse benefício é um grande diferencial na hora do recrutamento de profissionais. Porém, ele alerta que há regras diferentes em cada empresa. Algumas oferecem o benefício apenas para cargos gerenciais, outras vão aumentando o percentual máximo de acordo com a progressão hierárquica, e todas estabelecem um tempo mínimo para que você tenha o direito de utilizar esse “complemento” que a empresa faz.

Grande parte das empresas que oferecem tal benefício acabam criando seu próprio fundo. Ou seja, um fundo específico e exclusivo para os seus funcionários onde a empresa passa a ser denominada patrocinadora do fundo. O nome que se dá, nesse caso, é Fundo de Pensão. Porém, a Apple, por exemplo, dá tal benefício aos funcionários através de um fundo de previdência do Bradesco. Portanto, ela não cria um fundo de pensão específico para esse propósito.

Os planos de pensão existem em três modalidades: Benefício Definido (BD), Contribuição Definida (CD), e Contribuição Variável (CV). Os planos BD, em geral, estão fechados para aportes. Ou seja, existem apenas pra quem já fez lááá no passado. Isso porque o sistema de Benefício Definido costuma gerar alguns rombos e a conta não fecha (semelhante ao nosso INSS que tem uma galera com aposentadoria integral sugando tudo).
 

Títulos Públicos e o Tesouro IPCA+


Essa é minha aplicação favorita para o longo prazo, pois te protege da inflação e te dá rendimentos reais. Então não deixe de comprar os Títulos Tesouro IPCA+ lá no Tesouro Direto. Se sua empresa não tem o benefício citado acima, então já comece hoje comprando esses títulos. E mesmo se você já tem uma previdência privada (da empresa ou não) também compre. Não se concentre numa frente só.

Porém, opte por comprar o Tesouro IPCA+ SEM ser com juros semestrais. E pode escolher o com maior vencimento ou com vencimento mais próximo da data que você espera se aposentar. É o título NTN-B Principal.

Minha mulher faz isso, compra mensalmente lá no site do Tesouro Direto. E ainda tem uma manha do gato lá: tem a opção de deixar uma compra mensal programada, onde basta marcar o título, o valor desejado e o dia que você quer que seja descontado da sua conta e pronto! Débito automático.

Ah! E adivinha o que os fundos de previdência fazem: eles também compram títulos públicos, têm um monte na carteira.

Ps.: eu falei pra você comprar o Tesouro IPCA+ SEM ser com juros semestrais, né? Se quiser entender o porquê, clique aqui pra conhecer uma estratégia com títulos que pagam juros semestrais (isso é pra quem já tem muita grana acumulada).
 

Fundos de Previdência mais rentáveis


A matéria da Infomoney faz propaganda do Fundo “Verde AM Icatu Previdência FIC FIM Previdenciário” e de outros. Todos vendidos pela Corretora XP.

Essa corretora é a atual dona/parceira do site Infomoney. Ou seja, a matéria não fica imparcial, né. Trata-se de propaganda mesmo.

seta-de-investimentoPORÉM, pra quem já tem um fundo privado de aposentadoria, creio que valeria a pena sim fazer uma portabilidade para um outro Fundo de Previdência (não necessariamente esses). Então cabe a você comparar os rendimentos, as taxas de administração e o valor mínimo de aporte inicial e mensal. Esse fundo citado, por exemplo, já rendeu o equivalente a 124% do CDI, o mínimo mensal é de 500 reais, mas o aporte inicial tem que ser de 30 mil reais (pode ser através de portabilidade do seu atual fundo de previdência), enquanto que a taxa de administração é de 2%.

Já falei isso no primeiro artigo, mas não custa nada lembrar: toda vez que a gente solta alguma taxa ou índice de correção, a gente tá tratando desse % ao ano, tá?

Resumindo, compare você mesmo e acredite: ninguém tá nem aí pro seu dinheiro, quem tem que se importar com isso é você. O gerente do banco vai oferecer o melhor pro banco. E o assessor da corretora vai oferecer o melhor pra corretora. Eles não são consultores financeiros e o Google provavelmente pode te ajudar mais do que eles.

Se você ainda não junta nada pra aposentadoria, é muito mais simples começar com a estratégia do Tesouro Direto ou aplicar a estratégia que citarei mais pra frente.
 

PGBL ou VGBL? Tabelas de Imposto de Renda (IR), Progressiva ou Regressiva?


Acredite, muita gente abriu esse artigo apenas pra ler sobre esse tema: PGBL ou VGBL. Se você achava que investimento para a aposentadoria seria sinônimo de PGBL ou VGBL, espero já ter mostrado que não é bem assim. Por isso, estrategicamente, esse tema veio à tona aqui no meio do artigo.

Então vamos lá, mesmo investindo em planos na sua empresa ou em planos privados, alguns têm que fazer opções. Basicamente:

-> PGBL ou VGBL

-> Tabela de Imposto de Renda (IR) Progressiva ou Regressiva.

Ah! E plano com Taxa de Carregamento é cilada viu, fuja agora dessa merda. Logo, logo, logo.

Então vamo nessa, pra decorar de uma vez:

-> VGBL = Vida Gerador de Benefício Livre

-> PGBL = Plano Gerador de Benefício Livre

Basta decorar as palavras “plano” e “vida”. Jajá entenderás o porquê.

Simploriamente, você será informado por aí que o PGBL é mais adequado para quem faz Declaração Completa e o VGBL é mais adequado para quem faz a Declaração Simplificada. Essa Declaração é aquela do Imposto de Renda (IR) no início do ano, onde você escolhe uma dessas duas opções. Se não sabes como foi a tua, abre lá as declarações dos últimos anos e confere se fez a simplificada ou a completa.

MAS CALMA! Não fixe isso assim. Pois é o seguinte… realmente o que você coloca no PGBL, no plano, te dá o direito de abater esse valor da base de cálculo do imposto de renda. Ou seja, te dá o direto de pagar menos imposto e, se for o caso, ser restituído pela Receita Federal no momento da sua declaração. Mas isso só acontece se você faz a declaração completa. Se você faz simplificada, não há esse abatimento.

VGBL, de vida, não te dá esse direito (de pagar menos imposto). Mas isso não significa que, por você fazer a declaração simplifica, então o melhor pra você é o VGBL. Nada disso! Não, não e não! A verdade é que quase NUNCA é bom colocar seu dinheiro num VGBL. Você pode, inclusive, colocar seu dinheiro num plano de previdência, num PGBL, e então começar a fazer sua declaração completa (pagando menos imposto com isso).

Porra bixo!!! Pra que serve então um VGBL?“. A letra “v” é de vida, né? Pois é, ele serve pra vida. Ou melhor, ele serve pra morte. velho-bebado

VGBL é mais adequado para Planejamento Sucessório, pois herdeiros recebem imediatamente sem a necessidade de inventário do finado. Bom, né? Porém, como aplicação, existem várias outras melhores, como o caso dos Títulos do Tesouro Direto, LCI, LCA, etc. Ou mesmo os PGBL.

Então, se você NÃO está perto de bater as botas, camarada, não coloque sua grana num VGBL. OU, se você quer deixar um dindin de fácil acesso pra galera pra quando você tiver partido: faça essa decisão. O fato é que algumas famílias terminam passando dificuldades financeiras por conta do tal inventário. Assim, se sua família depende muito do que está no seu nome, utilize o VGBL pra isso: para que, na sua morte, a tunma não passe necessidades durante seu inventário.

“E quanto à Tabela de Imposto de Renda (IR), dole na Progressiva ou na Regressiva?”

Aí é o seguinte: você tem que escolher hoje como você será tributado no Imposto da Renda em cada resgate que você fará no futuro.

Novamente, pra decorar:

-> Tabela Progressiva é a tabela que o percentual do IR vai progredindo (aumentando). MAS é em relação ao montante de cada resgate que você fará lá no futuro.

-> Tabela Regressiva é quando o imposto vai regredindo (diminuindo). Mas, agora, em relação ao prazo que você deixou a aplicação lá no fundo de previdência.

Então, deve-se optar por tabela Progressiva de IR quem tem renda de até 2 ou 3 mil reais. Isso considerando sua renda lá no futuro, ou seja, ganhando até 3mil quando você tiver se aposentando. E ainda tem que se ligar! Pois se você também for receber o benefício do INSS, a renda do resgate somada com a renda do INSS é o que vai contar pra essa tabela aí.

Basta optar pela Tabela Regressiva para o longo prazo: pra começar a retirar a grana depois de mais de 10 anos. Isso porque no curto prazo é pior, pois o IR é maior do que na tabela progressiva, independente da renda/resgate.
 

ATENÇÃO! Percebeu que errou?


Tu ainda pode e deve corrigir isso a qualquer momento!!!! A InfoMoney, em especial o editor chefe João Sandrini, se garantiu ao afirmar isso. Pois é a pura verdade. Então: ação!!!

Novamente, esclareço que existem várias outras opções melhores de investimento para aposentadoria, quase todas melhores que planos privados (ex.: Títulos do Tesouro Direto, LCI, LCA, etc). Mas pra funcionar mesmo, tem que ter:

#1# Continuidade (investimento mensal)

#2# Perseverança (deixar essa grana lá, intocável)

No Tesouro Direto, tem a opção de deixar uma compra mensal programada. Como já disse, basta marcar o título, o valor desejado e o dia que você quer que seja descontado da sua conta.

Se você vai ser o próprio gestor do seu “fundo” de aposentadoria, você tem que deixar essa grana lááá pô, como se fosse invisível durante os próximos 20 ou 30 anos. Pois se tu tirar ela de lá por qualquer besteira (carro, apartamento ou viagem), aí JÁ ERA a sua aposentadoria.

O fato de existir um desconto mensal automático e de ser uma grana que você não mexe é o que a maioria das pessoas considera ao escolher ter uma plano de previdência privado. Mas em termos de rentabilidade não é a melhor opção por si só (principalmente por causa das taxas de administração).

meme-mig-mendigoSe você não tem disciplina ou se é daqueles que diz: “César, você não tem noção pô, não sobra náaaada do nosso orçamento, não tenho a mínima condição de poupar dinheiro“. Então, me desculpa falar a verdade, mas o fato é que você não tá sabendo priorizar seus gastos ou não está sabendo se organizar, se planejar ou controlar.

O que você guarda/poupa tem que ser a primeira coisa que sai da sua conta quando a grana entra, a primeira coisa! Como diria, novamente, o Robert Kiyosaki, autor do livro Pai Rico Pai Pobre: pague primeiro pra você. E te vira com o resto, negão.

Pensando na galera, compartilho aqui a planilha completa de Orçamento Familiar/Pessoal que eu e Marina montamos, usamos, e masterizamos aos longo dos últimos dois anos. Essa versão foi adaptada para dar uma generalizada e pra ficar mais completa e “bonitinha” pra colocar aqui no site.

-> Planilha de Gastos Completa

Quem tiver interesse numa planilha mais simples, sem tantas linhas, pode utilizar essa daqui como uma alternativa menos complexa..

-> Planilha de Gastos Simplificada

AH!!! E quem não tem noção do quanto gasta: basta baixar e utilizar o App GuiaBolso. Facilitará, e muito, seu controle e o seu orçamento.
 

Dando um Tchan a mais na sua aposentadoria


cumpade-washingtonComo disse meu amigo Ricardo Medeiros: “Nos últimos anos o investimento mais seguro e rentável, ao mesmo tempo, têm sido os títulos públicos. Mas é bom ressaltar que estamos passando por uma fase de juros altos e este cenário não deve perdurar por muito mais tempo (melhor para o país, pior para renda fixa). Em outras palavras, importante conhecer outros tipos de investimentos (renda variável).

Então, camarada… Então, colega… Se quiser potencializar mesmo teu fundo de aposentadoria. Faz o seguinte…

Muita gente já sabe ou pelo menos já ouviu falar que o Mercado de Ações (bolsa de valores) é para investir no longo prazo. Então: aposentadoria é igual a longo prazo. E: ações é igual a longo prazo. Portanto, aposentadoria casa bem com ações. A bronca é que: da galera que compra ações, poucos, poucos mesmo, realmente aplicam isso.

A tunma gosta é de fazer day-trade, análise gráfica, especulação e o diabo a quatro. Por causa do “glamour” e porque realmente funciona (pra alguns).

Investir é uma coisa. Especular é outra coisa. Se você tá comprando e vendendo ações no curto prazo (menos de um ano e meio só pra exemplificar), então você não tá investindo numa empresa pô, você tá é especulando.

Especular é massa! Gosto, faço e apoio, hehehe. Mas, no meu conceito, especular é distinto de investir. E você quer investir pra aposentadoria, né?

o-lobo-de-wall-streetAs corretoras incentivam você a ficar trocando de carteira todo mês, assim elas ganham nas corretagens de cada compra e de cada venda. Se tu assistiu o filme o Lobo de Wall Street e pegou o fio da meada, vai ter noção que a corretora se preocupa mais em fazer você vender e comprar, do que fazer você ter rendimento real. Pois elas ganham exatamente na operação de corretagem. Se você vai ter rendimento ou não, pouco importa pra grande parte delas à medida que o lucro/faturamento instantâneo que ela tem é na corretagem. Mas não naquele exagero do filme, aquilo já é passado, hehehe.

E não é à toa que todas as corretoras, todas, possuem diversas carteiras de ações que vão variando seus componentes ao longo do tempo. Variações mensais e até semanais. Ou seja, elas incentivam esse troca troca pois ganham muito dinheiro com isso.

Enfim…

Aposentadoria é investimento de longo prazo. Portanto, o ideal é que você faça investimentos mensais (ou periódicos) na bolsa para se aposentar. Pois ações, como já dito, são investimentos de longo prazo.

MAS, você precisa fugir de duas coisas:

#1# Pagar muita corretagem ao comprar ações específicas de cada empresa individualmente

#2# Do alto risco de se investir em poucas empresas

Pra fugir desses dois pontos, uma solução seria investir em fundos de ação. Porém, os fundos de ação cobram taxa de administração (então você já sai perdendo uma % automaticamente) e você ainda não sabe direito onde a galera está colocando sua grana. Ou seja, não sabe exatamente de que empresas os administradores do fundo estão comprando ações e quais são os eventuais interesses desse pessoal em investir nessas empresas. Isso tem que se ligar em qualquer fundo (de ações, de pensão, etc.), por isso não gosto muito dos fundos.

Obviamente, se um fundo de ação apresenta um ótimo histórico de rentabilidade, teoricamente ele é bem administrado. Porém, os melhores fundos de ação exigem um grande capital de entrada (de 50 mil a 1 milhão de reais), o que poucos (na minha “humilde” visão) conseguem arcar.

Assim, a forma mais simples de investir em ações é comprar ETFs (Exchange Traded Funds). Que nada mais é do que um conjunto de ações. O BOVA11, por exemplo, segue o índice bovespa. Ou seja, ele é composto pelas mesmas empresas que compõem o índice bovespa. Ao comprar BOVA11 é como se você estivesse comprando ações de dezenas de empresas (mitigando teu risco) e ainda assim pagando apenas uma corretagem.

Existem outras ETFs desse tipo. Mas, pra simplificar, pode ir de BOVA11 sem medo (e não veja a cor desse dinheiro pelos próximos 15 anos). E compre, se possível, mensalmente. Ou periodicamente (é o que faço).

Tá com dúvida que é confiável investir na bolsa? No longo prazo é sim. Saca esse histórico do Ibovespa desde 1963.

ibovespa-enfoque

O gráfico é em dólar em função das diversas mudanças de moeda (a última o Real em 1994).

Esse Gráfico do IBOVESPA é mantido pela Enfoque, e você pode  verificar ele aqui. Em azul, estão destacados os longos períodos de alta. Em vermelho, os longos períodos de baixa.

Em suma, pra aposentadoria, não precisa ser nenhum grande guru pra analisar que: ao comparar longos períodos (10 ou 15 anos) sua rentabilidade na bolsa é sempre positiva. MAS, repare que há vários picos de alta seguidos de longos períodos de baixa. Esse é o risco de não se fazer um investimento periódico ou mensal.

SE LIGA! O mercado é incontrolável. Mas você consegue controlar você mesmo, as suas próprias atitudes. Por isso que sua compra tem quer ser periódica, constante. Esquece o sobe e desce do mercado, e invista sempre o mesmo valor. Assim você estará aproveitando o mercado na alta e na baixa. Com o mesmo valor de forma constante, você se dará bem na queda, pois passará a comprar uma quantidade maior de ações durante esse período.

Eu detalho essa estratégia de investimento em bolsa num artigo completo: clique aqui pra ler.

E… não abandone a renda fixa, ou seja, não é pra substituir o Tesouro IPCA+ (ou outro título de renda fixa que você optar), é para complementar. Pode colocar um percentual destinado para a aposentadoria em renda fixa e outro em renda variável (BOVA11, por exemplo). Quanto maior o percentual em renda variável maior o risco: você pode ganhar mais ou perder mais.

MAS ATENÇÃO AQUI!!!! O valor a ser investido mensalmente em BOVA11 tem que ser alto para compensar a corretagem. Faz a conta e vê o quanto de percentual da corretagem vai equivaler no teu investimento. Indico que esse percentual não seja maior que 1%.

Ou seja, se o percentual da corretagem for alto, esquece o BOVA11 mensal e dale apenas no Tesouro IPCA+. Ai pode fazer como eu, vai juntando mensalmente na Poupança ou no Tesouro Direto (coloco no Tesouro SELIC) e trimestralmente ou semestralmente passe essa grana para o BOVA11. Isso além do Tesouro IPCA+, né?

Isso de colocar parte em renda fixa e parte em renda variável é chamado de alocação de ativos.

Uma alocação de médio risco que as Fundações Previdenciárias em geral trabalham é de 70 a 90% renda fixa e 10 a 30% na renda variável. Lógico, quanto maior o percentual de renda variável, maior o risco. Algumas Fundações, entretanto, trabalham com um maior percentual de renda variável, mas geram grandes déficits quando as bolsas caem, trazendo sérios problemas para aqueles que se aposentam nessa época.
 

Conclusão de como investir para aposentadoria


-> Investir em informação e conhecimento

-> Optar pelo fundo de previdência da sua empresa

-> Se for escolher uma previdência privada, compare as rentabilidades e escolha um fundo que renda, ao menos, mais que os títulos públicos

-> Acerte na escolha entre PGBL e VGBL

-> Acerte na escolha entre a tabela regressiva e a tabela progressiva

-> Compre Tesouro IPCA+

-> Compre ações e simplifique investindo no índice (no BOVA11)

O que eu faço: fundo de pensão da minha empresa (mensal) + Tesouro IPCA (mensal) + Tesouro Pré (mensal) + BOVA11 (trimestral) + SMAL11 (semestral)

E aêê!? Gostou? Se tu curtiu a enxurrada de informações desse artigo e quer ajudar mais pessoas a saber como investir para aposentadoria, então clica em algum dos links abaixo para divulgá-lo.

Facebook (mídia pop da geral)

Twitter (dos rapidinhos)

LinkedIn (da galera profissional)

Google+ (alguém usa isso?)
 

FIQUE ATUALIZADO, ASSINE E POUPE TEMPO


 

Imagens de freeimages.com, morguefile.com, e pixabay.com

  • Ivo Noronha

    Cesar, parabéns pelo Post! Eu estava investindo em um PGBL até que percebi que o imposto cobrado não é apenas sobre o rendimentos, mas sobre o total investido! Todos são assim? Quando percebi isso e comecei a acompanhar o blog, abri a cabeça para o tesouro, pensando em aposentadoria! Comecei semana passada e já deixei um valor agendado mensalmente!! Grande abraço

    • César Falcão

      Pois é! Nos Planos o Imposto de Renda não é sobre a renda, mas sim sobre o total (que é o mesmo que dizer que é sobre cada resgate a ser feito). E, teoricamente, a grana que você coloca lá é oriunda de alguma renda sua. E essa renda já é tributada. Por isso que existe a possibilidade de você abater o valor que você investe/deposita lá no plano da sua base de cálculo lá do IR anual. Em suma, se você tem um plano de previdência e não faz a declaração completa, você está sendo bitributado (tá pagando imposto a mais sem necessidade).

  • Eurico Valverde

    Perfeito o texto!

    • César Falcão

      Valeu!

  • Marcelo Botelho

    César, antes de mais nada obrigado pela oportunidade de contribuir com o blog e parabéns pelo conteúdo!
    Já sou adepto do plano de previdência privada da minha empresa e irei investir em tesouro após a leitura, quero garantir o futuro!!
    Abs.

    • César Falcão

      Massa!!! =D