o que e selic

11 coisas que você não sabe que não sabe sobre a Taxa SELIC

Bem, que a taxa SELIC é a taxa básica de juros do Brasil todo mundo já sabe (ou deveria saber), mas esse artigo não vai citar apenas isso.

Vamos explicar o que é a SELIC! Porém, por ser um artigo mais teórico do que prático (não gosto disso), lancei um desafio: minha meta é te mostrar ao menos uma coisa que você não sabe que não sabe sobre a Taxa SELIC.

Como assim coisas que eu não sei que não sei?

Essa lógica eu aprendi com o doido do Gabriel Goffi e é a seguinte…

-> Existem coisas que a gente SABE (e temos ciência que sabemos)

-> Existem coisas que a gente NÃO SABE (e temos ciência que não sabemos)

-> MAS, a maior parte do conhecimento existente no mundo é de coisas que a gente NÃO SABE que NÃO SABE

o que e selic

Meio doido mas faz sentido, né!

Então vamos lá… a leitura desse artigo é para quem:

-> quer saber o que é a SELIC ou quer passar a entender a parte de economia do Jornal Nacional;

-> quer ter certeza que já sabe o que representa a SELIC.

 

#1# O que torna a Taxa SELIC a Taxa Básica de Juros da economia brasileira


A SELIC é a taxa básica de juros. E daí? Né não? Bem, dizer que a taxa SELIC é a taxa básica de juros é dizer que ela é a base (a referência) para todas as demais taxas de juros do país. Todas!

Isso porque é através dessa taxa que o governo brasileiro empresta dinheiro a seus credores. E, já esclareci nesse artigo aqui, que emprestar dinheiro para o seu governo (de onde você está) é o investimento de menor risco que qualquer um pode fazer (seja pessoa física ou jurídica).

Pra emprestar dinheiro pro governo basta comprar títulos públicos. Se você é uma pessoa física você faz isso através do Tesouro Direto (saiba mais nesse artigo aqui).

Então, se o local menos arriscado pra colocar seu dinheiro está representado pela taxa básica de juros (SELIC), isso significa que qualquer outro lugar que seja mais arriscado terá que ter uma taxa maior do que essa pra valer a pena.

Assim, se você vai emprestar seu dinheiro, você vai utilizar como referência a Taxa Básica de Juros.

Ou seja, você vai fazer a seguinte análise:
-> vale mais a pena eu emprestar dinheiro pra esse cidadão Zé Ruela aqui na minha frente, ou vale mais a pena eu emprestar dinheiro pro governo?

Obviamente, pro cidadão que está na sua frente você vai cobrar uma taxa maior do que a taxa que o governo te paga. Se o risco de receber o dinheiro de volta é maior, então o retorno que você vai cobrar também será maior. Natural.

Se você pensou rápido aí e já percebeu que faria isso ao emprestar sua grana, então adivinha o que os bancos e instituições financeiras fazem.

É! É exatamente isso que eles fazem quando você vai lá fazer um empréstimo ou quando você financia alguma compra sua numa loja.

Seja pra comprar um carro, um imóvel, um eletrônico ou eletrodoméstico, sempre que você tá pegando empréstimo (ou se financiando), você tá pagando determinado percentual de juros. E essa instituição que tá te emprestando dinheiro está fazendo exatamente essa análise pra estabelecer qual é a taxa que vai cobrar de você.

Ou seja, a análise é: só empresto grana pra você se você pagar um juros igual a taxa SELIC + algum percentual extra.

Entendeu como a SELIC é a base pra qualquer outra taxa de juros do mercado brasileiro?

 

#2# Quem define a meta da SELIC é o governo federal através do COPOM


Na explicação acima (sobre a taxa básica de juros ser a referência) acho que deu pra sentir o drama que a SELIC é bem importante, né?

selic copom

Então, pra esse troço não ficar ao Deus Daráh, em 1996 foi criado o COPOM (Comitê de Política Monetária) que possui, dentre suas diversas atribuições, a responsabilidade de definir a meta da taxa SELIC.

O COPOM define essa meta através de reuniões periódicas. Mais ou menos a cada 45 dias, o que dá cerca de 8 reuniões por ano.

Você pode consultar o calendário de reuniões do COPOM aqui nessa parte do site do Banco Central.

 

#3# A Taxa de Juros é utilizada pra controlar a inflação


Já sabemos que existe o COPOM, mas a dúvida agora é: por que eles ficam mudando e redefinindo a meta da SELIC?

Bem, é o seguinte… A Taxa Básica de Juros é utilizada para controlar a inflação de acordo com a regra máxima da economia: oferta versus demanda.

Posso resumir que parte dessa regra da economia diz, dentre outras palavras, o seguinte:

-> se incentivarmos a demanda de determinado produto (pessoas querendo comprar), sem aumento da oferta (pessoas querendo vender), o preço desse produto irá subir, pois teremos muito mais gente procurando comprar esse produto em relação à real quantidade do produto disponível para venda;

-> da mesma forma, se a oferta fica estável (quantidade de pessoas querendo vender estável), mas a demanda diminuir (menos pessoas querendo comprar), então o preço do produto tende a cair.

Continuando…

Inflação é o quanto mais caro as coisas estão ficando, né. Assim, o governo, para cumprir as metas de inflação do Brasil, utiliza a Taxa Básica de Juros para influenciar na linha da demanda.

Basicamente assim…

Quando aumentamos a taxa básica de juros, estamos desencorajando o consumo (a demanda), pois o crédito e o financiamento ficam mais caros (taxas maiores) o que leva as pessoas a consumirem e gastarem menos.

No final de 2016 e início de 2017 vimos redução, pelo COPOM, da meta da taxa SELIC. Nesse caso específico, a desaceleração da inflação se deu pela diminuição do consumo das pessoas em função da crise.

Essa queda da inflação (em função da crise) foi o que possibilitou a redução da taxa SELIC (e não o contrário). Provavelmente, para o cumprimento da meta de inflação, o COPOM deve ter observado que não havia mais necessidade de se manter a taxa num patamar tão elevado.

Abaixo você pode conferir um gráfico com o histótico da inflação versus taxa SELIC dos últimos 17 anos que elaborei utilizando o excelente site iEconomics.com. Percebe-se claramente a relação entre ambas (e agora você já sabe o motivo).
grafico selic versus ipca
 

#4# A Taxa de Juros está relacionada à geração de empregos


Na explicação acima, vimos que elevar a taxa de juros é uma das formas de controlar a inflação. Na verdade, essa é a forma mais fácil, mas não é a melhor forma.

Atuar na linha da oferta, ou seja, na linha de se aumentar a produção de bens e serviços do país, seria a melhor forma de se controlar a inflação. Mas isso é tema pra uma dissertação gigante de mestrado, hehehe. Vamos voltar ao artigo…

Gosto de falar que emprego é sinônimo de empresa que, por sua vez, é sinônimo de empresário.

Os empregos são gerados pelas empresas, correto? As empresas são geradas pelos empresários, correto? Então, de uma forma ou de outra (com incentivo ou não do governo), os empresários são os principais geradores de empregos.

Sem empresário, não há empresa. E sem empresa não há emprego.

Vale lembrar que o próprio governo faz papel de empresário de vez em quando, mas a lógica é a mesma.

Agora vamos lá… você arriscaria todo seu dinheiro para montar uma empresa, montar um negócio ou expandir seu negócio, se a previsão de retorno sobre o seu investimento fosse menor do que a taxa básica de juros?

O que é que vai te dar mais retorno? Abrir/expandir um negócio ou emprestar dinheiro a baixíssimo risco pro governo?

selic desemprego

Pois é, elevadas taxas de juros leva a quem tá com dinheiro na mão, simplesmente guardá-lo pra ficar recebendo essa renda. Grana esta que poderia ser usada pra expansão de um negócio ou criação de um novo negócio. Ou seja, grana esta que seria utilizada para criação ou manutenção de empregos para a população.

Portanto, aumentar muito a Taxa SELIC significa desestimular a criação ou expansão de novos negócios (desestimular a criação de empregos).

 

#5# A Taxa de Juros é representativa do risco Brasil


Você já deve ter ouvido falar da relação risco versus retorno. Inclusive, já abordamos isso aqui nesse artigo.

Portanto, a SELIC não representa apenas o controle do governo em relação à inflação ou em relação à criação de empregos (criação de novos negócios).

A SELIC representa, também, o risco Brasil. Ou seja, pra conseguir captar dinheiro no mercado internacional, a taxa de juros oferecida pelos títulos públicos brasileiros têm que ser atrativas em relação aos títulos dos demais países.

O que você acha que é mais arriscado?
-> Comprar títulos públicos do governo da Suíça
-> Comprar títulos públicos do governo do Zimbabwe

Pois é, esse tal “mercado” é muito mais fácil de entender do que as pessoas acham. Pra entender o “mercado” basta olhar pra nós mesmos, pros nossos sentimentos.

E sim, boa parte dos títulos públicos da dívida brasileira está na mão de estrangeiros. Mais precisamente 14,44% conforme relatório de novembro/2016.

Você pode conferir os credores (investidores) nos relatórios do próprio Tesouro Nacional clicando aqui.

O que e SELIC

Em suma, a Taxa SELIC representa o risco Brasil e tem que ser atrativa para captação de recursos no mercado internacional.

 

#6# Significado da Sigla SELIC e o funcionamento do Sistema Especial de Liquidação e Custódia


SELIC = Sistema Especial de Liquidação e Custódia.

A taxa SELIC recebe esse nome pois é através desse “sistema” que é feito o financiamento diário e o pagamento diário das transações realizadas junto ao governo.

Vou tentar explicar de uma forma bem simplória (não utilize minha explicação em dissertações ou concursos públicos, ó cá?)…

Todos os bancos tem que deixar, no Banco Central, um percentual da grana que está depositada nele. Esse percentual é fixo, mas a quantidade de dinheiro que um banco possui em depósitos estará sempre variando, dia-a-dia, em função da quantidade de saques, transferências, pagamentos, novos depósitos, etc.

Isso significa que, ao final de um dia útil, vários bancos estarão devendo ao Banco Central uma grana referente àquele percentual que tem que ficar depositado lá.

Assim, com lastro nos títulos públicos que os bancos possuem, eles pagarão o que devem ao Banco Central (ao governo) logo no dia útil seguinte. Esse pagamento no outro dia é feito com uma correção a maior. Pronto! A taxa SELIC é simplesmente a média de todas as taxas aplicadas nessa correção, dia-a-dia.

Veja a definição da SELIC dada pelo próprio Banco Central do Brasil:

” Define-se Taxa Selic como a taxa média ajustada dos financiamentos diários apurados no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic) para títulos federais. Para fins de cálculo da taxa, são considerados os financiamentos diários relativos às operações registradas e liquidadas no próprio Selic e em sistemas operados por câmaras ou prestadores de serviços de compensação e de liquidação (art. 1° da Circular n° 2.900, de 24 de junho de 1999, com a alteração introduzida pelo art. 1° da Circular n° 3.119, de 18 de abril de 2002). “

 

#7# Existem duas Taxas SELIC


É isso aí! Uma coisa é um coisa, outra coisa é outra coisa.

Uma coisa é a meta da SELIC definida pelo COPOM e noticiada pelo William Bonner no Jornal Nacional. 

E outra coisa é a SELIC real. Esta, a SELIC real, é calculada da forma que já expliquei mais acima através do Sistema Especial de Liquidação e Custódia.

o que e SELIC

No fim das contas, para atualização de preços, o que importa mesmo é a SELIC real.

Consulte aqui a SELIC real.

Consulte aqui o histórico bem como a meta atual da SELIC. 

Ultimamente, a SELIC real tem ficado 0,10% a.a. abaixo da SELIC meta. A meta é um teto, tá?

 

#8# Há relação direta entre a taxa SELIC e a Taxa DI (a taxa do CDI)


Já expliquei que em função da quantidade de saques, transferências, pagamentos, novos depósitos, etc., os bancos ficam, diariamente, devendo ao governo.

O mesmo ocorre entre os bancos. Quando, ao fim do dia e em função das operações dos clientes, o Banco Santander receber mais dinheiro do que passou para o Banco Itaú, o Santander fica devendo ao Itaú.

Da mesma forma como ocorre com o Banco Central, essas transações são liquidadas diariamente entre os bancos através do Certificado de Depósito Interbancário (CDI). A média das taxas dessas transações é o que gera a Taxa DI.

Veja parte da definição do CDI dada pelo Portal Brasil:

” Os Certificados de Depósito Interbancário são os títulos de emissão das instituições financeiras, que lastreiam as operações do mercado interbancário. Suas características são idênticas às de um CDB, mas sua negociação é restrita ao mercado interbancário. Sua função é, portanto, transferir recursos de uma instituição financeira para outra. Em outras palavras, para que o sistema seja mais fluido, quem tem dinheiro sobrando empresta para quem não tem. “

Como a Taxa SELIC é sempre a referência (já explicamos isso), a Taxa do CDI acompanha SEMPRE a SELIC. No fim das contas, por serem oriundas de operações tão semelhantes, a Taxa DI é praticamente igual à Taxa SELIC.

Na verdade, a Taxa DI é sempre um pouquinho de nada menor. Afinal, se financiar com outro banco é mais arriscado do que se financiar com o Banco Central.

Pra simplificar minhas decisões financeiras, considero sempre que a Taxa DI (taxa do CDI) é sempre igual à Taxa SELIC.

A Taxa DI diária pode ser consultada aqui.

 

#9# Suas aplicações em Renda Fixa NÃO rendem a meta da SELIC


Quando você investe no Título Tesouro SELIC (LFT) lá no Tesouro Direto ou em qualquer outra aplicação que te renda um percentual do CDI, não é a meta da SELIC que vai ajustar financeiramente sua grana.

Nesses casos é a SELIC real, diária, o que importa. Ou, em caso de aplicações indexadas ao CDI, o que importa é a taxa DI diária. Mas já vimos que DI e SELIC é quase a mesma coisa.

Ou seja, sua aplicação vai render a SELIC diária contabilizada do dia que você aplicou até o dia do resgate (ou dia do vencimento).

Se quiser uma perspectiva da SELIC futura, sugiro verificar o último quadrinho do Boletim Focus do Banco Central. Clique aqui pra ver todos os relatórios.

 

#10# Há relação entre a SELIC e o mercado de Renda Variável


Aqui é bem simples… como a SELIC é a principal indexadora dos empréstimos, ela é a principal indexadora dos investimentos em Renda Fixa.

Na prática, os investimentos em Renda Fixa nada mais são do que empréstimos. E já esclarecemos isso nesse artigo aqui.

Portanto, numa redução da taxa básica de juros, é natural que ocorra o movimento dos investidores saindo da Renda Fixa e indo para a Renda Variável em busca de retornos maiores.

Esse movimento, por si só, já gera valorização dos papéis de Renda Variável.

Mas, lembra que citei que juros baixos facilitam a expansão e criação de novos negócios?

Então, é também natural que a atenção se volte para o mercado de ações (onde você se torna sócio das empresas cujas ações estão sendo negociadas), pois são as empresas que lucrarão com novos negócios.

Se não tais ligado no que é Renda Variável, citarei apenas dois exemplos simples: (i) ações e (ii) fundos imobiliários, ambos negociados na bolsa de valores.

 

#11# Mesmo em queda, a taxa de juros real brasileira é uma das maiores do mundo


O site MoneYou.com.br, em parceria com a Infinity Asset Management, apresenta um relatório interessante… Eles divulgam mensalmente as taxas de juros (nominal e real) dos 40 países mais relevantes do mercado mundial.

Veja o ranking de juros reais para janeiro/2017. Lembrando que juros reais é a taxa de juros acima da inflação.

SELIC

Como já esclareci, isso é ruim para os negócios e a economia do Brasil. Mas isso é bom pra nós que estamos investindo em Renda Fixa aqui no país.

A galera vive me perguntando o impacto da diminuição da SELIC nos nossos investimentos. Mas, na prática, o que importa é que, mesmo em queda, ainda estamos com a taxa de juros reais bem elevadas por aqui.

Em outras palavras, aqui no braza você ainda não precisa ficar quebrando a cabeça pra ter rendimento real (acima da inflação). Basta ir para as alternativas mais simples possíveis da Renda Fixa e correr pro abraço.

SELIC

Além de país do futebol, somos também o país da Renda Fixa! (por enquanto, então não deixe de aprender sobre renda variável)

 

Conclusão


E aí? deu pra pegar AO MENOS UMA coisinha que você não sabia que não sabia sobre a Taxa SELIC?

Esqueci algum ponto importante? Vacilei em algum trecho? Me avisa aí nos comentários.

Na nossa newsletter também rola conteúdo foda (como este artigo) e de ordem prática (ao contrário deste artigo) de coisas que você não sabe que não sabe. #ficaadica

 

FIQUE ATUALIZADO, ASSINE E POUPE TEMPO



 
Imagens de stockvault.net