As 2 Leis da Educação Financeira para Crianças

Como educar financeiramente nossos filhos? Qual deve ser o foco da educação financeira para crianças? E quais a diretrizes da educação financeira infantil?

Na verdade, não existe uma maneira específica correta de se haver com as finanças. Existem muitas. Várias. Múltiplas.

MAS, a ideia é abordar aqui os dois pontos que considero mais básicos, as 2 leis, e que são frutos, não apenas da minha experiência com minhas duas filhas, mas principalmente que foram extraídas e enxugadas por mim da leitura completa do livro “Como falar de dinheiro com seu filho?”, da autora Cássia D´Aquino.

Assim, esse artigo traz conceitos e práticas extremamente simples mas também extremamente poderosos em relação à Educação Financeira de crianças.

Bem…

Ainda antes do nascimento da minha primeira filha, eu já prestava assessoria financeira de forma informal e gratuita a certos amigos e familiares. De alguma forma, eles vinham me procurar meio que naturalmente.

Porém, poucos sabem que foi na introspecção da minha primeira licença paternidade, que me toquei que poderia estar passando esses ensinamentos financeiros a qualquer pessoa, seja através de livros/cursos ou simplesmente divulgando o que aprendi e já ensinei para quem quiser acessar na internet.

Dessa forma, criei este site, o PoupeMe.com, onde apresento a milhares de leitores caminhos e soluções do mundo das finanças sempre de forma bem-humorada.

Mas e o que danado esse site tem a ver com o tema do artigo, né?

É o seguinte … uma das coisas que me deu um ânimo a mais necessário para criar o PoupeMe foi o livro “Um Mundo, Uma Escola” do Salmon Khan, que li também durante minha licença paternidade. Em tal livro percebi que somos todos alunos e professores.

Destaco o trecho que creio refletir, também, meu trabalho paralelo e o tema deste post:

O melhor jeito de ajudar nossas crianças é ajudar todas as crianças.

– Salmon Khan

Eu já tinha começado a montar meu site e ele iria ao ar de qualquer maneira, mas essa visão veio corroborar ainda mais com meu egoísmo na criação do blog.

É! Meu site é um projeto altruísta que tem um quê egoísta. Pois a primeira lei para a educação financeira de crianças é…

 

#1# Você é o modelo de Educação Financeira dos seus filhos!


Então, conforme citação do mestre Salmon Khan: educando os adultos, estamos ajudando as crianças desses adultos e, consequentemente, estamos ajudando as nossas crianças.

Criei um site pensando em um negócio paralelo para mim e também pensando nas minhas crianças. Tem coisa mais egoísta que isso? Hehehe.

Mas o modelo que passo à frente é o do altruísmo. Afinal…

Você é o modelo!

Nós somos os principais modelos para nossos filhos. Nossas ações e reações são registradas e imitadas pelas crias como o “jeito certo de fazer”.

Assim, o modo como usamos as palavras “querer” e “precisar” envia à criança mensagens sobre o nosso sistema de valores.

Você “precisa” comprar essa calça de marca ou você apenas “quer”?

Você “precisa” de um carro zero do ano ou você apenas “quer”?

Você “precisa” morar num condomínio com quadra de tênis e piscina ou você apenas “quer”?

Na vida as coisas que precisamos devem sempre vir antes daquelas que apenas queremos. Seu sistema de valores tem grandes chances de se tornar o sistema de valores do seu filho.

Pagar dívidas é um compromisso sagrado. Você concorda com isso? Então se comprometa a sanar todas suas dívidas ou a nunca adquirir nenhuma. Comprometer-se é se dedicar incondicionalmente.

Comprometa-se criando a disposição para fazer o que for necessário durante o tempo que for preciso para pagar. Torne o pagamento de dívida algo sagrado pra você e assim será para o seu filho.

Trabalho nunca é problema, não é verdade? O problema é a falta de trabalho.

Então tenha atenção ao abordar o tema trabalho perto dos seus filhos: cuidado pra não colocar na cabeça da criança o desprazer em trabalhar ou a associação do trabalho a algo ruim ao agradecer toda sexta-feira que enfim chegou o final-de-semana.

Lembre-se: você é o modelo!

Se você não tem educação financeira o seu filho provavelmente não terá.

Se você não tem certeza se tem ou não educação financeira, é porque provavelmente não tem.

Já falei isso algumas vezes, mas gosto de ser repetitivo… se você não tem educação financeira, mas sabe ler e tem acesso a internet… Então não ter educação financeira passou a ser uma decisão sua.

Pais, tentem não comprar por impulso, por pura vontade. Comprem pra alimentar seus desejos e não suas vontades.

O consumo deve ser precedido de ponderação, e não regido por impulso.

Desejo é perene, enquanto a vontade é volátil. Enquanto que “vontade é coisa que que dá e passa”, o desejo se sustenta ao longo do tempo.

Saiba esperar por uma compra e seus filhos também saberão. E ensinar a esperar é a segunda lei da educação financeira infantil…

 

#2# Educar financeiramente é ensinar a esperar!


O principal objetivo de educar os filhos em relação ao dinheiro deve ser levá-los a atingir a maturidade financeira, ou seja, a capacidade de adiar os desejos de agora em função de futuros benefícios.

Logo, educar financeiramente não é ensinar o “tim-tim por tim-tim” das finanças. Educar financeiramente é ensiná-los a esperar.

E o melhor da festa continua ser esperar por ela. Criança gosta de nutrir no tempo a delícia do seu desejo.

Não tenha receio de deixar seu filhote esperar para conseguir o que quer. Determine as grandes datas em que ele será presenteado com aquele desejo de consumo e as comunique a ele.

Ele está querendo algo? Faça uma listinha e deixe pra presentear no aniversário, no natal ou no dia das crianças. Repetindo: criança gosta de nutrir no tempo a delícia do seu desejo.

A criança pediu um pirulito de presente de natal ao Papai Noel? Ótimo! Dê apenas o pirulito e veja o sorriso de felicidade no rosto de quem ganhou o que queria. Afinal, crianças não olham preços como nós olhamos.

Ah! E antes que eu esqueça…

Você pode ensinar seu filho a esperar mesmo que ele tenha poucos meses de vida. Ou seja, educação financeira se inicia no berço. (ou você é do tipo que ouve um barulhinho de início de choro do bebê e já sai correndo pra acudir?)

 

Considerações finais


Colaborar para que os filhos cresçam tão conscientes quanto possível das escolhas que fazem, aptos a ponderar sobre elas, de modo a prever e arcar com suas consequências, é uma das tarefas mais importantes e delicadas a serem desempenhadas pelos pais.

– Cassia D´Aquino

Boa parte do texto deste post foi “traduzido” pela minha mente a partir do livro “Como falar de dinheiro com seu filho?”, da especialista em educação financeira infantil Cássia D´Aquino.

Pra completar e, principalmente, complementar…

-> Clique aqui para conhecer um infográfico sobre o tema dinheiro e crianças;

-> E clique aqui pra conhecer nosso treinamento completo para pais e educadores.